Você está aqui: Home / Tire suas Dúvidas

Tire suas Dúvidas:

Por que a doação de leite humano é importante?

Atualmente, no Brasil, 30% do leite humano são perdidos no processo de doação, entre a coleta e o recebimento pelo recém-nascido. Por isso, há a necessidade de seguir corretamente todo o passo a passo da doação.

Além disso, dada a sua enorme contribuição para a recuperação de milhares de recém-nascidos prematuros e abaixo do peso (menos que 2,5 kg) internados, a doação de leite humano é muito importante para salvar vidas. As evidências científicas indicam que bebês prematuros e/ou doentes que se alimentam de leite humano no período de privação da amamentação possuem mais chances de se recuperarem e de terem uma vida mais saudável. Com o leite materno, o bebê prematuro ganha peso mais rápido, se desenvolve com mais saúde e fica protegido de infecções.

Quem pode doar leite humano?

Mulheres no período da amamentação são possíveis doadoras de leite humano. Para doar, basta ser saudável e não tomar nenhum medicamento contraindicado no período da amamentação. Procure o Banco de Leite Humano mais próximo de você e saiba mais.

Quantas vezes uma mulher, enquanto produz, pode doar leite humano?

Não há uma quantidade específica de vezes em que a mulher pode doar, sabendo que isso varia de pessoa para pessoa. Sempre que quiser, a mulher em fase de amamentação pode doar leite humano, pois, quanto mais a mama é estimulada (seja para doção ou para alimentação do bebê), mais leite ela será capaz de produzir.

Qual quantidade deve ser doada?

Não há quantidade mínima para fazer a doação. Toda mulher precisa saber que 1 litro de leite humano, por exemplo, pode alimentar até 10 bebês internados. Por isso, não deve haver preocupação com a quantidade mínima para doação.

Por que é realizada uma campanha para doação de leite humano?

Porque o número de doações de leite humano ainda é baixo em relação à demanda no país. Hoje, a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano consegue suprir apenas 60% da demanda para os recém-nascidos prematuros e de baixo peso internados nas UTIs neonatais do Brasil. Isso significa que 40% dos bebês internados que precisam não podem contar com o leite humano na sua alimentação. Por isso, o Ministério da Saúde, em parceria com a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano/Fiocruz, realiza, todos os anos, uma campanha para sensibilizar mulheres que amamentam para que doem leite humano.