Portal do Governo Brasileiro


Triagem Neonatal é responsabilidade

Os bebês são totalmente dependentes dos adultos. Mas se eles pudessem escolher, com certeza iriam querer ficar protegidos de doenças graves desde o primeiro dia de vida. Por isso, a Triagem Neonatal é uma parte tão importante do cuidado com o recém-nascido.

Além de prover alimento, conforto, medicação, aprendizado, os pais precisam estar cientes da responsabilidade de permitir que os filhos realizem os testes da Triagem Neonatal. Esses testes protegem o bebê, e, caso haja alguma alteração, o diagnóstico precoce aumenta as chances de sucesso nos tratamentos.

Quais são os testes da Triagem Neonatal?

Todo bebê que nasce no Brasil tem direito a realizar gratuitamente quatro testes muito importantes para a sua saúde. Eles são popularmente conhecidos como:

Teste do Pezinho

Esse procedimento é uma das principais formas de diagnosticar várias doenças que, quanto mais cedo forem identificadas, melhores são as chances de tratamento. No SUS são diagnosticadas seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, doença falciforme e outras hemoglobinopatias, fibrose cística, deficiência de biotinidase e hiperplasia adrenal congênita.

É preciso estar atento ao prazo ideal para a realização do Teste do Pezinho. A família deve levar o recém-nascido a uma unidade básica de saúde, preferencialmente, entre o 3° e o 5° dia de vida.O Sistema Único de Saúde (SUS) ainda garante o atendimento com médicos especialistas para todos os pacientes triados. Para as seis doenças detectadas no SUS, há tratamento adequado, gratuitoe acompanhamento por toda a vida nos 31 serviços de referência em triagem neonatal do país, presentes em todos os estados brasileiros.

O Teste do Pezinho está disponível no Brasil todo, com 21.446 pontos de coleta, distribuídos na Atenção Básica, Hospitais e Maternidades.

Teste do Olhinho

O nome técnico para este procedimento é Teste do Reflexo Vermelho, mas ele é conhecido também como Teste do Olhinho. É um teste simples, rápido e indolor, que consiste na identificação de um reflexo vermelho que aparece quando um feixe de luz ilumina o olho do bebê. O fenômeno é semelhante ao observado nas fotografias.

O Teste do Olhinho pode detectar qualquer alteração que cause obstrução no eixo visual, como catarata, glaucoma congênito e outros problemas. O diagnóstico precoce pode possibilitar o tratamento no tempo certo e garantir o desenvolvimento normal da visão. A recomendação é que o Teste do Olhinho seja feito pelo médico logo que o bebê nasce. Se isso não acontecer, o teste deve ser feito logo na primeira semana de vida do bebê, na consulta de acompanhamento médico. Depois disso, continua sendo importante nas consultas regulares de avaliação da criança, pelo menos duas a três vezes ao ano, nos três primeiros anos de vida. Se o pediatra encontrar algum problema, vai encaminhar a criança para avaliação do oftalmologista.

Teste da Orelhinha

Entre os procedimentos realizados ainda na maternidade, logo após o nascimento do bebê, está a Triagem Neonatal Auditiva ou Teste da Orelhinha. O teste é feito, preferencialmente, entre 24h e 48h de vida do bebê e identifica possíveis problemas auditivos no recém-nascido. O teste deve ser feito nas maternidades. Se não for realizado na maternidade, a criança deverá ser encaminhada para a Unidade Básica de Saúde e, posteriormente, encaminhada à atenção especializada em saúde auditiva para a realização do diagnóstico, exames, concessão do aparelho auditivo, reabilitação e acompanhamento.

Desde 2010 é determinado por lei que nenhuma criança saia da maternidade sem ter feito o teste, que é gratuito. As crianças nascidas fora do ambiente hospitalar devem fazê-lo antes de completarem 3 meses de vida. O Teste da Orelhinha é realizado com o bebê dormindo, em sono natural, é indolor e não machuca, não precisa de picadas ou sangue do bebê, não tem contraindicações e dura em torno de 10 minutos.

Teste do Coraçãozinho

O Teste do Coraçãozinho consiste em medir a oxigenação do sangue do recém-nascido com o auxílio de um oxímetro - espécie de pulseirinha, na mão e no pé do bebê. Caso algum problema seja detectado, o bebê é encaminhado para fazer um ecocardiograma. Se o resultado apresentar alterações, o bebê é encaminhado para um centro de referência em cardiopatia para tratamento.

Problemas no coração são a terceira maior causa de morte em recém-nascidos. Por isso, quanto mais cedo for diagnosticado, melhores são as chances do tratamento.Todo bebê tem direito de realizar o Teste de Coraçãozinho ainda na maternidade, entre 24h e 48h após o nascimento.
O teste é simples, gratuito e indolor.

Dia Nacional do Teste do Pezinho

No dia 6 de junho, comemora-se o Dia Nacional do Teste do Pezinho. Essa data foi escolhida para lembrar a importância da Triagem Neonatal, reforçando que o Teste do Pezinho é um dos testes mais importantes para detectar doenças em recém-nascidos. Ele é realizado nos primeiros dias de vida do bebê e é capaz de detectar seis doenças que, quanto mais cedo forem identificadas, maiores são as chances de proporcionar melhor qualidade de vida ao bebê e sua família.

O teste é feito no pezinho por ser uma região bastante irrigada do corpo, o que facilita o acesso ao sangue para a coleta da amostra. Apesar de muitos bebês chorarem durante o teste, a picadinha no calcanhar é muito importante para dar as melhores condições de desenvolvimento para as crianças brasileiras. Esse não é um teste que traz riscos ao bebê.